O Pontos Fidelidade tem o propósito de fazer com que as escolas possam realizar convênio com empresas parceiras. Esses convênios podem ser os mais variados, mas com intuito de proporcionar benefícios para alunos. Por exemplo, se a escola realiza um convênio com um estacionamento, seria possível ver a possibilidade dos alunos não pagarem ou, no lugar de pagar um valor X por hora, se pagaria esse valor pelo tempo em que estão na escola.


Cabe às escolas a decisão de quais alunos podem receber o convênio, como estabelecendo que alunos matriculados podem fazer uso, ou os que indicam alguém, ou os que já efetuaram pagamento da matrícula, os que mantém uma pontualidade de pagamento, frequência (semanal, quinzenal ou mensal), atividades extras, entre outras variáveis.


Assim a escola pode mensurar valores ou quantidades de acordo com o uso do aluno dentro da escola. Sendo assim, dentro de todos os itens que permitem que ele tenha benefício dos convênios, cada item equivale a uma quantidade específica de pontos. Por exemplo: ao realizar a matrícula, ganha-se 10 pontos. Se o aluno ganhou os 10 pontos, quer dizer que ele pode usufruir de todos os convênios que forem até 10 pontos.


Por exemplo, um cinema que tem convênio com a escola e permite que alunos com pontuação 30 tenham acesso a benefícios, assim o aluno apenas com a matrícula não consegue fazer acesso ao benefício do cinema, pois os 10 pontos não cobre.


Considere que cada parcela paga equivale a 5 pontos, para ganhar 30 pontos o aluno deve antes pagar 4 parcelas para o acesso ao cinema.


Nada impede que a escola libere convênios sem exigir mínimo de pontos, sendo uma decisão particular de cada escola.



Próximo: App Smart Aluno | 8. Cadastro de Alunos no App